Danças e Cantares

   Danças e cantares típicos, não os há nesta freguesia. Quer no passado, quer no presente, nos momentos de alegria e/ou festivos, recorreu-se sempre a balhos e canções cuja origem se perde, na poeira dos tempos.
   Muitos deles, embora comuns a outras localidades e/ou ilhas – Pézinho, Chamarrita, Bela Aurora, Sapateia, Saudade... – têm interpretações diferentes. Disto, a Saudade, cuja letra a seguir se transcreve, é um exemplo:

A saudade é um luto,
Uma dor, uma aflição;
É um cortinado roxo
Que eu trago no coração.

 

Ausência tem uma filha,
Que se chama Saudade;
Eu sustento mãe e filha,
Bem contra a minha vontade.

 

Pus-me a chorar saudades
No portal do meu jardim;
Uma flor me respondeu;
Cala-ta, tudo tem fim.

 

Ó tirana saudade,
Chega a mim, tira-me a vida;
Aquela que eu mais amava
Já de mim vive esquecida.

 

Saudades, saudades
Saudades tenho eu,
Quem não terá saudades
De um amor que já foi seu?

 

A palavra saudade
Quem seria que a inventou?
O primeiro que a disse
Com certeza que chorou.

Home Bairros Novos Igreja de Santana Igreja do Colégio dos Jesuitas Museu Carlos Machado Junta de São Sebastião Igreja Matriz de São Sebastião Portas da Cidade de Ponta Delgada